<$BlogRSDUrl$>
 

sábado, novembro 29, 2003

O Guerreiro

Comparar o descanso de reflexão e de retempero de forças de quem atinge uma meta com o descanso do guerreiro é quase como dizer que viver é uma guerra! E às vezes assim parece!
Porque de cada episódio da vida fazemos uma batalha da qual trazemos cicatrizes, vitórias, derrotas, sorrisos, desilusões, sonhos e pesadelos. O guerreiro também tem receio da batalha por isso a respeita, o guerreiro também precisa de um incentivo, seja ele a sede de vitória ou o sorriso de uma criança, o guerreiro também desconfia algumas vezes de quem parece estar ao seu lado tal e qual tem de confiar no desconhecido outras vezes... e na vida não nos acontece o mesmo?
E o guerreiro também tem derrotas, tem momentos em que não atinge os objectivos, por isso tem de obter forças renovadas fora do seu dia-a-dia, aprender novas técnicas, fazer novas alianças, afastar velhos aliados, compreender que tudo muda e os seus aliados podem já não ser os mesmos e que os seus inimigos talvez já não o sejam, tem de renovar, tem de mudar, tem de ter uma nova atitude perante as adversidades e tem de avançar confiante em si.
É complicado pensar que aliados de hoje possam a vir ser nossos inimigos, mas olhando para trás sempre assim foi, basta olhar a História para o entender. Os nossos vizinhos espanhóis não eram nossos eternos rivais? E hoje? Serão verdadeiramente inimigos ou aliados?
Tudo muda, por isso quer na vitória quer na derrota, o guerreiro tem de conseguir pensar em paz, analisar, repousar, compreender, estabelecer planos, definir objectivos e só depois arrancar em força. É na calma do descanso que se consegue pensar melhor e é com o incentivo de quem quer estar por perto nessa altura que se consegue recuperar forças! Seja na vitória ou na derrota.
Vamos à luta... vamos viver!

p.s.: A culpa deste texto é da Maria que comentou o anterior texto dizendo que era o descanso do guerreiro após a batalha.


This page is powered by Blogger. Isn't yours?