<$BlogRSDUrl$>
 

sexta-feira, dezembro 26, 2003

Entre o Natal e o Ano Novo

É o tal tempo de reflexões sobre o ano que termina e em que se fazem planos para o novo que se vai iniciar. Culmina com as doze badaladas que marcam o início de mais um ano.
Este ano, não me apetece nada fazer grandes reflexões, não me apetece traçar grandes rumos, não me apetece estar a pensar, simplesmente sinto-me preguiçoso para o fazer. Será que estou conformado? Cansado? Desanimado? Sei lá!
Ou talvez esteja com medo de redescobrir que o ano correu de uma forma desastrada, mês após mês, ou medo de estar reviver as coisas menos boas quando elas atravessam a mente.

Assim foi com uma prenda recebida este Natal. Uma surpresa estranha porque era algo muito especial, que me foi dado com um enorme carinho mas que acabou por se tornar um incómodo por me fazer reviver o ano que agora termina e todas as aventuras pelas quais passei. Gostei dela mas ao mesmo tempo incomodou-me! Agora já faz parte da minha vida, não há nada a fazer senão saber tirar partido dela da melhor forma, para que o carinho com que me foi oferecida não tenha sido em vão.

Quanto a planos para o novo ano, não quero pensar muito nisso. Lembro-me que faz agora um ano, tinha imensos objectivos, planos, decisões e quase todos acabaram sendo colocados de lado, acabaram por ser abandonados, todos os desejos foram falhando uns atrás dos outros. Não me apetece passar pelo mesmo.
E é engraçado perceber que as coisas boas que aconteceram, sim porque também aconteceram, acabaram por serem aquelas que não estavam planeadas, surgiram naturalmente do nada.

Se calhar por tudo isto, nesta semana que falta para 2004, não me apetece muito reflectir, pensar, projectar, planear...
Mas confesso que só o facto de estar a escrever isto já é uma forma de reflectir, é fazer exactamente o contrário do que queria!
Enfim, apenas não me quero prender em objectivos que me vão desiludir, e não quero pensar no passado que não me foi agradável!
Desse passado gostaria que no futuro me seja possível olhar para ele como tendo sido um início de coisas boas que possam acontecer, assim esse passado pode perder a importância negativa que ainda tem hoje, tal e qual eu escrevi uns dias atrás em Sorte ou Azar.

Ora nem mais, aqui está já um plano para 2004! E eu que não queria fazer planos!

This page is powered by Blogger. Isn't yours?