<$BlogRSDUrl$>
 

domingo, dezembro 28, 2003

Indiferença

“A indiferença é um mal crónico, progressivo, fisicamente indetectável. Não nos leva ao cemitério, mas traduz um embotamento quase irreversível dos afectos, vegetamos de boa saúde. Habituei-me. Não faço gala dos meus achaques, sem dúvida existem casos mais graves que o meu; nem sequer bato no peito e espalho a culpa aos quatro ventos, o processo foi suave, insidioso, não há réus quando cai o nevoeiro. Convivemos, sem prazer ou conflito, dir-se-ia um reumatismo da alma.”

Júlio Machado Vaz in “Domingos, Sábados e Outros Dias”

Hoje em dia a indiferença é cada vez mais frequente por esse mundo fora, indiferença por causas, por calamidades, por pessoas, por ideais...

Mas é assim que a indiferença se instala, progressivamente, e de repente já estamos acomodados, já nem sentimos, já nem queremos perder tempo em lutar quanto mais pensar!
Depois é preciso algo forte e intenso que nos faça reagir!

This page is powered by Blogger. Isn't yours?