<$BlogRSDUrl$>
 

sexta-feira, março 26, 2004

Cansaço

Seja físico ou não, o cansaço deixa-nos moles, fracos e abatidos, fazendo surgir em nós uma grande vontade de nos refugiarmos longe de tudo e todos. Sentimos a necessidade de descanso, de tranquilidade, de paz, de calma, de serenidade, de espaço para reflectir, de tempo para recuperar forças, de silêncio que nos acalme ou seja de algo que nos possa melhorar quer o nosso estado físico quer o nosso estado de alma.

E quando o cansaço nos invade, temos de o resolver através do descanso ou da ruptura.

Descansamos, repousamos, acalmamos e fazemos uma pausa antes de prosseguir o caminho. É o momento de pensar e reflectir antes de continuar, é o momento de recuperar forças ou a calma necessárias para prosseguir o nosso caminho.

Ou então fazemos uma ruptura, quebrando o ritmo e rumo que temos trilhado. Fazemos uma mudança para que o caminho que nos tem vindo a cansar passe a ser outro. A ruptura permite-nos parar com aquilo que nos deixa cansados, e mesmo sem tempo para descansar e fazer pausas, conseguimos eliminar o cansaço.

Já ouvimos muitas vezes “quem corre por gosto não cansa”. Esta expressão refere-se ao cansaço que necessita de rupturas para ser eliminado, pois mesmo quando gostamos do que fazemos acabamos por sentir o cansaço físico. Mas este sentimento de cansaço é atenuado pela inexistência de cansaço psicológico. Podemos sentir o cansaço físico, mas se gostamos do que fazemos, dificilmente nos deixamos abater ou nos cansamos de fazer o que temos pela frente.
Precisamos de pausas e de descansar, mas as rupturas não são necessárias! Porque gostamos do que fazemos, ou seja corremos por gosto, corremos por coisas que nos são importantes!

E hoje, é verdade que estou cansado, mas é só fisicamente!

This page is powered by Blogger. Isn't yours?