<$BlogRSDUrl$>
 

quinta-feira, março 18, 2004

Perdoar Esquecendo ou Esquecer Perdoando

A 14 de Março a Charlotte dizia sobre o perdoar e o esquecer:

“Ouço muito boa gente dizer que perdoa mas não esquece. Ora se perdoa, mas não esquece, não perdoa, o que é compreensível porque perdoar é difícil e aprende-se (ou não) à medida que os anos vão passando. (...)”

Ora bem, perdoar é dizer que algo que aconteceu é passado, é dizer que não deixa marcas, é ser politicamente correcto, é querer esquecer esse facto.
Esquecer é no entanto uma coisa muito íntima, depende de nós, não é algo afirmado, tem de ser sentido e acreditado. Esquecer é perdoar de facto, é apagar as marcas, é perdoar perante nós próprios.

Perdoar é verbalizar o esquecer, quer isso já tenha acontecido ou não. Perdoar alguém é sossegar essa pessoa dizendo que já esquecemos, independentemente de o termos feito ou não, e independentemente de querermos esquecer ou não.
Podemos dizê-lo mentindo para evitar ter de explicar como nos sentimos, podemos dizê-lo convictos que já esquecemos e mais tarde descobrimos que não é verdade, podemos dizê-lo porque queremos esquecer mesmo e o melhor é começar a acreditar que perdoamos dizendo-o mas também o podemos dizer porque de facto já esquecemos o que aconteceu.

O perdoar é um acto assumido e consciente, enquanto que o esquecer tem de acontecer naturalmente, é impossível decidir simplesmente que se esqueceu algo. Perdoar pode no entanto ser o primeiro passo para esquecer, porque significa que tomamos consciência que queremos esquecer.

Mas às vezes é bom perdoar sem esquecer, porque querermos perdoar para evitar conflitos sem sentido, mas ao mesmo tempo não querermos esquecer tudo o que aconteceu para que o aviso fique marcado em nós.
E podemos querer esquecer sem perdoar, porque as pessoas a quem poderíamos perdoar não nos merecem essa atenção e no entanto esquecemos o que aconteceu porque também as marcas que poderiam ficar deixam de ter significado para nós!

Por tudo isto, esquecer é normalmente mais difícil do que perdoar, porque depende dos nossos sentimentos.
E quantas vezes queremos esquecer mas isso torna-se impossível porque não conseguimos sequer perdoar?

This page is powered by Blogger. Isn't yours?