<$BlogRSDUrl$>
 

quarta-feira, abril 07, 2004

Acreditar ou Duvidar

Não acreditamos em tudo na vida porque aquilo que vemos pode ser uma ilusão e o que nos contam podem ser afirmações erradas ou imprecisas. Acreditar e duvidar são formas de encarar as coisas e as pessoas na nossa vida, ambas fazem sentido de acordo com aquilo que sentimos.

Quando não aceitamos como verdadeiro algo que se nos apresenta, podemos estar a ir contra a corrente, podemos ser acusados de não confiar, mas também podemos estar à beira de encontrar novas fórmulas, novas explicações ou novos caminhos. Tantas descobertas no mundo científico começam quando se coloca em causa o que é aceite como verdade.
E mesmo quando chegamos à conclusão que afinal é mesmo verdade o que temos perante nós, acabamos por nos sentir mais seguros da nossa decisão final e sentimos que aprendemos imenso na nossa pesquisa ou confirmação da verdade.

Contudo não podemos duvidar de tudo, temos de escolher o que queremos acreditar, de forma a não sermos eternos desconfiados. Da mesma forma não podemos acreditar em tudo, porque sabemos que errar é humano, por isso iremos lidar muitas vezes com imprecisões e mentiras.
Quantos de nós não tentamos embelezar o nosso curriculum para conseguir um emprego? Quantos de nós não nos vestimos de uma forma mais elaborada para uma ocasião especial para fazer boa figura? Quantos de nós não omitimos algo que fizemos para não nos criticarem ou não fazerem juízos de valor?

Haverá sempre coisas na vida em que vamos acreditar e outras de que vamos duvidar, é uma decisão nossa fazer essa escolha. Só acreditamos no que queremos, por isso somos responsáveis pelas escolhas que tomamos, tanto na decisão de confiar como na de duvidar.

Podemos contudo estar errados, podemos acreditar numa mentira ou duvidar de uma verdade. Nesse caso para além da decepção para com aquilo ou com quem nos enganou, ficamos também aborrecidos connosco por termos tomado uma decisão errada. Por isso é que as desilusões nos magoam tanto, porque são duplamente frustrantes.

Mas é preciso não esquecer que só acreditamos no que queremos! Assim sendo, e como também acreditamos em coisas que são verdadeiras e que nos fazem bem e que nos deixam felizes, devemos ficar duplamente contentes por estas situações! Só assim conseguimos compensar as coisas más, ou seja dando o mesmo valor às coisas boas que aquele que damos às coisas menos boas.

Porque só acreditamos no que queremos!

This page is powered by Blogger. Isn't yours?