<$BlogRSDUrl$>
 

segunda-feira, maio 03, 2004

Citando os Outros

Quando escrevemos um artigo para o nosso blog, já aconteceu a muitos de nós usarmos material escrito por outras pessoas, seja de livros, de revistas, de artigos em outros blogs, letras de canções ou citações de discurso. Provavelmente também já aconteceu que outras pessoas usem os nossos textos para ilustrar os seus artigos.

As regras básicas nestes casos mandam que seja claro que o texto usado não seja nosso e que se identifique claramente a sua fonte. Mas é claro que corremos sempre o risco que isso não seja feito com o que nós escrevemos publicamente. Pode acontecer por descuido ou com intenção, mas quem aqui anda está sujeito a estas coisas.
Hoje aconteceu comigo, mas curiosamente usaram o texto que escrevi num comentário e não no blog! Nunca me teria ocorrido antes, que pudesse acontecer com um comentário.

Tudo começou num artigo da Para-Pit-Da-Pat sobre a Sensualidade, que eu decidi comentar da seguinte forma:

“O estímulo da sensualidade é a confiança em si mesma que a mulher tem. E diria que mesmo que a pessoa tem, porque os homens também têm a sua.
E a sensualidade torna-se assim um estímulo para o desejo nos outros. Quando a sensualidade e desejo são mútuos então sim é criada uma aura de desejo e cumplicidade
Acho que mesmo os temperamentos excepcionalmente ardentes necessitam de um mínimo de sentimento para se poderem revelar, sem ele não existe entrega e partilha.
E a tal aura erótica que falas pode revelar-se não apenas com uma pessoa, afinal de conta não existem principes ou princesas encantandas, nem o Mr. ou Mrs. Right, existem pessoas com quem nos relacionamos ao longo da vida.
jotakapa | Homepage | 05.01.04 - 11:08 pm | #”

Pois bem, hoje voltei lá e ao ler os novos comentários a este artigo, e decidi ir espreitar os blogs de quem comentou.
Ao seguir um dos comentários fui ter ao blog Quem sabe sou eu (E mais Nada!!!) que tinha um artigo sobre o mesmo assunto, mas quando comecei a ler, achei que o texto me era familiar. Ou seja o texto era quase idêntico ao meu comentário, procurei alguma referência que mostrasse a verdadeira origem do texto... mas não encontrei nada.
O artigo começava assim:

“Sensualidade feminina
O estímulo da sensualidade é a confiança em si mesma que a mulher tem. E diria que mesmo que a pessoa tem, porque os homens também têm a sua.
E a sensualidade torna-se assim um estímulo para o desejo nos outros. Quando a sensualidade e desejo são mútuos então sim é criada uma aura de desejo e cumplicidade
Acho que mesmo os temperamentos excepcionalmente ardentes necessitam de um mínimo de sentimento para se poderem revelar, sem ele não existe entrega e partilha.

daí que qualquer relacionamento só pelo lado libidinoso da questão é horrivel.
E a aura erótica que pode revelar-se apenas com uma pessoa, afinal de conta não existem principes ou princesas encantandas, nem o Mr. ou Mrs. Right, existem pessoas com quem nos relacionamos, parece sempre mais longe do que o que efectivamente está.
é preciso igualmente separar as coisas: sensualidade, beleza e erotismo são coisas mt diferentes.

(...)

# posted by paulo @ Segunda-feira, Maio 03, 2004 | isto está concorrido (2) | Trackback (0)”

O autor do blog continua depois com outras ideias, escrevendo a sua opinião, mas a base de que parte é exactamente o meu comentário do qual desapareceram algumas palavras. O mais caricato da situação é que até os erros de ortografia que eu dei no meu comentário, foram copiados integralmente: “afinal de conta”, “príncipes” e “encantandas” a par da falta de um ponto final no fim de uma das frases.

Fiquei curioso o no mesmo blog, vi outro artigo denominado "descobri alguem com bem senso" que termina com a expressão:

“em http://devaneiospospuberes.blogspot.com, posted by francisco)”

Isto fez-me pensar, que o facto de no artigo sobre Sensualidade não existir referência ao verdadeiro autor das palavras iniciais não foi um acto assumido, mas um esquecimento momentâneo.
Deixei um comentário a pedir ao autor que reponha a verdade da situação, colocando em evidência as partes do texto que não escreveu e fazendo referência ao autor das mesmas, neste caso a mim.

Afinal de contas, não custa nada colocar as palavras dos outros entre aspas, e deixar bem presente que as palavras foram transcritas de outra pessoa. É uma questão de princípios, de respeito e de educação.

Os blogs são para todos os efeitos um meio de publicação de escritos, ideias, pensamentos e opiniões, por isso há que ter sempre o cuidado de citar as fontes que usamos naquilo que se publica nos blogs, para que se evitem injustiças desnecessárias.
Quando transcrevo alguma coisa de um livro, de uma música ou de outro blog, tenho sempre o cuidado de deixar evidente o que não foi escrito por mim e deixar uma referência clara para a origem daquilo que usei. Além disso, quando se trata de um blog, tento sempre avisar o autor do blog original de que usei o texto dele.

Mesmo quando descubro algo interessante num blog e quero partilhar com outras pessoas utilizando o correio electrónico, coloco sempre com o texto transcrito o endereço do blog de onde retirei as palavras.
Além do respeito e da justiça, permite a quem lê ir visitar e descobrir outras coisas escritas pelo mesmo autor.

Esta é a minha perspectiva sobre a forma como devemos usar material que não foi escrito por nós. Cabe a cada um decidir em consciência a imagem que quer dar de si no que respeita à transparência e respeito por aquilo que os outros fazem.

P.S.: o autor do blog, disse que iria corrigi a falha, não sei se da forma que eu acho mais transparente, só ele saberá o que a sua consciência dirá.

This page is powered by Blogger. Isn't yours?