<$BlogRSDUrl$>
 

quinta-feira, junho 03, 2004

Questões de Tempo

Ter tempo para fazer alguma coisa é bem diferente de fazer alguma coisa a tempo.

Nos dias que correm é vulgar o nosso desabafo de que não temos tempo para fazer tudo o que temos para fazer e para viver tudo o que gostaríamos. Isto porque vivemos num mundo cada vez mais competitivo que nos obriga a realizar muitas tarefas para nos sentirmos verdadeiramente realizados, mas também porque hoje temos muito mais informação ao nosso dispor para ser assimilada e porque cada vez mais sentimos necessidade de tirar o máximo partido da vida. Somos cada vez mais exigentes até connosco próprios.

No entanto as tarefas que diariamente temos pela frente, sejam profissionais ou pessoais, têm o seu tempo de serem realizadas e vividas, algumas têm mesmo de acontecer naquele dado momento caso contrário deixam de fazer sentido. E quando não conseguimos concretizar aquilo a que nos propomos dentro desse “tempo certo”, ficamos com a sensação de tempo perdido que vai agudizar a tal sensação de que o tempo nos foge e de que não temos tempo.

Por isso muitas vezes, o nosso “não temos tempo” tem a ver com a nossa incapacidade de realizar as nossas tarefas e viver os nossos momentos no tempo certo, ou seja tem a ver com a nossa dificuldade de encontrar o encadeamento correcto de passos a dar e acções a tomar na nossa vida.

Como dizem os ingleses, é tudo uma questão de timming, e tantas vezes perdemos grandes oportunidades na nossa vida porque não conseguimos fazer as coisas nos momentos certos. E quando temos a consciência dessa nossa falha vamos tentar corrigir isso de alguma forma, o que nos vai consumir tempo extra. Assim teremos ainda mais a sensação que não temos tempo, e que a vida nos escapa entre os dedos.

Claro que não é simples realizar todas as tarefas e viver todos os momentos da nossa vida dentro do tal tempo certo, até porque muitas vezes esse tempo certo é algo muito subjectivo e variável consoante a forma como analisamos o nosso percurso. Só que não podemos correr o risco de estar constantemente fora do tempo certo, porque se assim for corremos o risco de que o desânimo tome conta de nós e nos faça perder ainda mais tempo, já que ele parece ser sempre tão curto!

Temos de constantemente procurar alcançar o sincronismo entre o tempo e a vida, de forma a tirar o máximo partido de ambos!

This page is powered by Blogger. Isn't yours?