<$BlogRSDUrl$>
 

quinta-feira, dezembro 23, 2004

Carta ao Pai Natal

Caro Pai Natal

Para ser sincero não acredito que existas, mas acontece que estou com saudades do tempo em que te escrevia nesta época para fazer os meus pedidos.

Podia remeter-te uma carta manuscrita, enviar-te uma lista de prendas por fax, escrever-te um email ou enviar-te uma SMS, no entanto preferi escrever-te aqui no blog. Se realmente existes, então decerto que és um daqueles que vem aqui ler o que escrevo, afinal de contas é uma forma de saberes como me tenho portado o ano todo.

Não te vou dizer que me portei muito bem ou que fui um menino bonito, porque não irias acreditar e ainda me colocarias no grupo dos mentirosos. Procedi sempre da melhor forma que consegui e soube, pelo menos na minha perspectiva, sabendo que corria o enorme risco de me enganar. Não fui bom nem fui mau, andei todo o ano entre os dois extremos, procurando que eu próprio me sentisse mais perto do “bom” do que do “mau”. Obviamente que isto é apenas uma opinião de parte interessada no assunto: eu próprio!

Haverá por aí quem diga que fui um menino mau mas também existe quem pense exactamente o contrário. É o resultado de um ano de convivência comigo e da força que atribuem às coisas que fiz e que tocaram essas pessoas. Além disso, é preciso não esquecer que algumas coisas que fazemos podem ser boas para umas pessoas e más para outras, dependendo daquilo que esperam de nós. O pior é quando fazemos alguma coisa com a melhor das intenções e depois descobrimos que as pessoas não gostaram daquilo que fizemos. Também tive bastantes situações dessas neste ano que passou.

Esta carta deveria servir para te enviar uma lista de prendas que gostava de receber, por isso vou tentar não me esquecer de nada que ache essencial.
Se me trouxeres um pacotinho de saúde para este ano já ficarei contente, principalmente se o puder partilhar com as pessoas que mais gosto. Peço-te ainda que não te esqueças de renovar a minha dose de paciência, a do último ano está a esgotar-se rapidamente. Espero também encontrar um embrulho cheio de sorrisos para poder partilhar durante o ano de 2005. Outra coisa que preciso e tu me podes tentar arranjar é um daqueles frasquinhos de paz e serenidade que tu próprio usas para ter esse aspecto tão bom!
Além disso, tenta encontrar uma estrela que me possa guiar durante o ano de 2005, para poder usar os outros presentes com conta, peso e medida. A luz dessa estrela bem que me pode iluminar as ideias quando fico mais confuso e cansado.

É mais fácil arranjar um Action Man ou uma PlayStation, mas tu sabes bem que eu sou um tipo esquisito e complicado. Além disso, acho que tu adoras resolver um bom desafio. Acho que vais mesmo encontrar uma forma de me oferecer estas pequenas lembranças, para que o meu 2005 possa ser ainda melhor que este ano que agora vai terminar.

Um abraço cheio de estrelas brilhantes desta eterna criança.

This page is powered by Blogger. Isn't yours?