<$BlogRSDUrl$>
 

sexta-feira, junho 10, 2005

Presente

É impossível antecipar o que amanhã pensaremos daquilo que hoje fazemos. Aliás, sabemos de antemão que no futuro poderemos olhar com outros olhos para tudo o que vivemos no presente.

“Atravessamos o presente de olhos vendados. No máximo, conseguimos pressentir e adivinhar aquilo que estamos a viver. Só mais tarde, quando se desata a venda e examinamos o passado é que nos apercebemos daquilo que vivemos e compreendemos o seu sentido.”

Milan Kundera in “O livro dos amores risíveis”

Hoje conseguimos distinguir no passado aquilo que na altura nos era impossível vislumbrar. O tempo e afastamento das situações permite uma análise de uma forma mais fria e menos apaixonada sobre aquilo que vivemos. O facto de conhecermos as consequências das nossas opções, decisões e dúvidas também nos ajuda a ter uma nova visão sobre aquilo que aconteceu.

Houve alegrias vividas que perderam entretanto a sua intensidade, dores que se transformaram em memórias longínquas, certezas assumidas que acabaram por se revelar perfeitos enganos, apostas feitas que foram perdas de tempo, enganos que afinal eram simples mal-entendidos, azares que hoje nos parecem ser uma sorte, decisões tomadas que foram erros de análise, falhas cometidas que afinal não o eram...
Algumas coisas vão ganhar um novo brilho enquanto outras podem vir a perder parte da sua magia actual. E certamente que haverão algumas que vão manter a sua imagem, porque há coisas na nossa vida de que não nos arrependemos.

Hoje não podemos ter a pretensão de querer compreender inteiramente aquilo que vivemos, resta-nos por isso sentir e viver o presente.
 

This page is powered by Blogger. Isn't yours?